É possível perceber que o avanço da internet e das redes sociais permite maior poder de busca e, posteriormente, conhecimento às pessoas. E quando se fala em divulgação, o que se nota é que, na evolução do marketing de conteúdo, “empurrar” propagandas aos usuários, como é feito pela publicidade tradicional, é uma intromissão, além de ser uma estratégia bastante ineficiente, não gerando o engajamento esperado.

Diante desta nova realidade, a necessidade de que as marcas forneçam conteúdo valioso e interessante é evidente e está começando a se tornar reconhecido entre estudiosos e especialistas na área de marketing. A conclusão a que eles têm chegado é que hoje a atenção sobre uma marca não pode mais ser comprada como antigamente, agora ela deve ser conquistada – e com conteúdo.

O que pesquisas mostraram

Para analisar essa questão, em julho de 2015, a Fractl, uma agência de marketing de conteúdo, juntamente com o site Moz, conduziu uma pesquisa online com mais de 1000 pessoas. Os participantes foram convidados a responder 13 questões e dar sua opinião sobre engajamentos recentes e também sobre várias táticas de Outbound e Inbound Marketing.

Mais da metade dos entrevistados afirmaram ter visto algum tipo de anúncio dentro do período dos 30 dias da campanha de entrevistas, mas 53,8% informaram que não clicaram em nenhum anúncio na semana em que estavam sendo perguntados. A primeira percepção dos estudiosos foi de que aproximadamente 60% dos entrevistados utilizavam algum tipo de bloqueador de anúncios enquanto navegava na web.

Um outro estudo, realizado pela Adobe, reforçou essa conclusão ao revelar que 54% dos participantes da pesquisa responderam que os banners não eram nada funcionais.

Então como o público aprende sobre uma empresa ou produto?

Os voluntários da pesquisa também responderam como fazem para aprender mais sobre uma empresa ou um produto. Cerca de 90% das pessoas afirmaram ter procurado mais informações sobre determinada marca através de pesquisa on-line e mais de 80% disseram que visitam o site da empresa pela qual se interessam.

Isso demonstra que os consumidores de hoje estão mais ativos, buscando informações sobre marcas na internet e demonstrando estar totalmente engajados com aqueles que usam as plataformas digitais para educar e fornecer valor.

Conteúdo 10 vezes melhor

Rand Fishkin, fundador da Moz, definiu que 10 vezes melhor é o conteúdo que é 10 vezes melhor do que o melhor resultado que você atualmente pode encontrar nas pesquisas para uma determinada palavra-chave ou tópico.

E para criar conteúdos melhores para a sua marca o conselho é trabalhar em materiais carregados emocionalmente, que sejam capazes de criar conexão com a audiência, além de possuir alta qualidade, ser confiável, útil e interessante.

A prova disso é que as campanhas bem executadas atraem os grandes meios de comunicação, isto é, sites com grande audiência podem levar uma marca a gerar uma quantidade enorme de engajamentos, leads e conversões. Além disso, no que se refere ao marketing de busca, essas campanhas podem levar os sites a ganhar redirecionamento, repercussão e tráfego qualificado.

O investimento em conteúdo se diferencia das propostas tradicionais porque cria uma resposta emocional – seja ela de surpresa, alegria, expectativa ou admiração. E, mais do que isso, soluiona um problema ou dúvida e fornece informações precisas.

Afinal, por que o investimento em conteúdo tomará todo o orçamento?

O mercado trabalha continuamente com a missão de fazer mais com menos, buscando os métodos mais rentáveis ​​para chegar aos melhores resultados.

Diante dessa necessidade, o Inbound Marketing se apresenta como uma solução bastante adequada. De acordo com a publicação “State of Inbound”, do site Hubspot, mais do que o dobro dos entrevistados citaram o Inbound Marketing como a principal fonte de geração de leads.

Visto isso, concorda-se que o conteúdo será o dono de uma parcela significativa – se não de todo– o orçamento para o marketing nos próximos anos. Afinal, oferecendo conteúdo é possível engajar os consumidores, levando-os a se identificarem com as marcas e agregando valor à vida deles.