Durante o dia, a integração de multi-telas vem aumentando cada vez mais. É muito comum vermos emissoras de Tvs tentando integrar o meio digital com o offline para não perder totalmente a atenção do telespectador. Essa integração com duas telas é tendência e quem não se acostumar pode pagar um preço alto. Confira alguns dados e informações que separamos para vocês.

Mais de 63 milhões de brasileiros são usuários de multi-telas. Quando dizemos que uma pessoa é usuária de multi-telas estamos falando das pessoas que acessam simultaneamente a Tv, o computador ou smartphone. É o que acontece quando você assiste “The Voice Brasil” por exemplo e Twitta no seu perfil sobre os participantes do programa. Aquele que consegue intercalar Tv e smartphone pode ser chamado de usuário multi-tela.

Em outros países essa nova forma de consumo de informação e entretenimento ainda é algo novo, na França e no Reino Unido por exemplo, são 19 e 16 milhões de pessoas respectivamente que estão adeptas ao novo modelo de integração de multi-telas.

Podemos perceber que o que acontece na primeira tela pode ser visto de forma completa na segunda tela, dessa forma, nota-se que uma complementa a outra. Alguns exemplos de primeira e segunda tela podem ilustrar o que estamos dizendo.

O carnaval na Marquês de Sapucaí (independente de ser assistido pela Tv ou ao vivo) pode ser considerado como uma primeira tela e um aplicativo para uma determinada escola de samba onde os usuários podem receber detalhes do enredo e das alegorias pode ser considerado a segunda tela. Outro exemplo, só que de modo inverso é a pessoa que busca na internet sobre o programa ou seriado que assiste na Tv, ou até mesmo busca o último capítulo da novela que não deu para ver no dia certo.

Com essas observações podemos imaginar que dentro de pouco tempo, cada programa de Tv pode ter seu aplicativo para interagir com os telespectadores.