Para atingir o público que se deseja, é essencial desenvolver uma boa estratégia de marketing digital em que as táticas e o conteúdo que vão compor a variedade de plataformas digitais que sejam do interesse do comprador ideal.

No entanto, basear tudo isso em um público tão amplo e diversificado pode ser uma decisão arriscada, representando uma estratégia fraca e podendo comprometer todos os esforços realizados.

Com esse pensamento, Alan Cooper criou o conceito de buyer persona, ampliando o conceito de público-alvo e criando uma forma de otimizar, segmentar e definir quem é esse público, o que ele faz e do que ele gosta. O que se percebe hoje é que esta ferramenta se tornou indispensável para qualquer estratégia de sucesso.

Mas o que é uma buyer persona

Na definição, buyer personas são perfis semificcionais que representam o comprador ideal de determinada empresa ou produto. Ou seja, é uma personagem criada para ajudar a empresa a compreender melhor quem é o cliente e do que ele precisa.

As aplicações de uma buyer persona são inúmeras e a criação dela é o alicerce para o marketing digital da empresa, afinal a buyer persona bem definida mostra que sua estratégia tem potencial para se tornar muito mais efetiva.

Como as buyer personas auxiliam na estratégia de marketing?

A buyer persona é quem vai interagir com o conteúdo criado pela marca e é essencial ao definir efetivamente a estratégia. Elas são essenciais em aspectos como:

  • Elaboração de linguagem de comunicação da empresa, dos posts para blog e das redes sociais;
  • Definição das principais redes sociais para o seu negócio;
  • Quais conteúdos devem ser produzidos;
  • Qual deve ser a extensão e formato desse conteúdo;
  • Quais palavras-chave escolhidas devem ser escolhidas;
  • Qual o estilo e periodicidade do e-mail marketing;

 A diferença entre público alvo e buyer persona

Jovens entre 20 e 28 anos que moram em capitais, vivem com os pais, recebem entre R$ 600,00 e R$1.000,00 por mês e têm poucas contas para pagar. Estão sempre conectados ao smartphone e também gostam de estar por dentro do que acontece no mundo tecnológico.

Essa é a descrição de público-alvo. Isto porque não fala sobre hábitos e características de uma pessoa específica, não fornece informações e dados satisfatórios para definir qual rede social escolher, qual conteúdo criar.

Agora veja:

Luiza, paulista, tem 40 anos, um filho, é arquiteta com especialização em design de interiores. Sempre trabalhou com projetos de casas sofisticados e de alto padrão. Participa com frequência de projetos sociais relacionados à educação. Prefere utilizar o carro. Frequenta feiras de arquitetura e uma vez por ano vai à Inglaterra buscar novas tendências. Vem de uma família de arquitetos. Não tem atividade constante nas redes sociais, mas adora acompanhar blogs sobre decoração. Joana sabe sobre seu produto ou serviço, porém não está certa dessa compra, ainda tem muitas dúvidas.

Este é um exemplo de buyer persona. Como se percebe, a diferença entre os modelos é enorme. A persona é fruto de pesquisas cuidadosas e detalhadas, que permitem à empresa definir o que é mais adequado ao seu cliente, ou seja, permite que uma estratégia de marketing digital eficiente seja criada.

Dica

Utilize todos os dados e ferramentas de que você disponibiliza para criar suas personas. Invista nessa etapa, pois uma boa persona pode ser a chave do sucesso para a sua empresa, por isso crie-a com precisão e se baseando sempre em elementos relevantes.